Clicks118
pt.news

Cardeal Schönborn mente diante das câmeras sobre "diaconisas"

O cardeal de Viena, Christoph Schönborn, disse à TV Estatal Austríaca (14 de abril), que "uma tradição de 2000 anos, que nem mesmo um papa pode deixar de lado com um canetaço" é a razão para a ausência de um sacerdócio feminino na Igreja.

Schönborn está errado: mulheres não podem ser ordenadas não devido a uma "tradição" antiquada, mas sim devido ao fato de que elas constituem a matéria errada para o sacramento da ordenação, assim como os homens constituem a matéria errada para dar à luz.

Não obstante, Schönborn afirma que a ordenação de mulheres é uma questão de "desenvolvimento" e "mais tempo", como se isso fosse mudar a matéria.

Ele expressou o seu desejo de ordenar [invalidamente] diaconisas e, então, ir além.

Ele pronuncia a mentira manifesta de que mulheres foram ordenadas diaconisas nos primeiros séculos. Não pode haver dúvida de que Schönborn conhece todos os estudos recentes e passados mostraram que as supostas diaconisas dos primeiros séculos receberam apenas uma bênção para o seu trabalho como trabalhadoras sociais, nunca o sacramento da ordenação.

Schönborn confirmou que a ordenação de homens casados será "discutida" no Sínodo Pan-Amazônico em outubro.

Ele se esquiva da questão se Francisco falhou em suas "reformas" com um ataque aleatório aos católicos:

"Existe um grupo na Igreja para o qual o Papa já foi longe demais." O anticatólico Schönborn identifica este grupo como os "críticos ferrenhos" que pertencem ao "lado tradicional".

Fotografia: Christoph Schönborn © Mazur/catholicnews.org.uk, CC BY-NC-SA, #newsWmakhhobiy