Clicks61
pt.news

Documento vaticano sobre gênero está cheio de "ambiguidades" e formulações "sentimentais"

O psicólogo católico holandês Gerard van den Aardweg denunciou o documento do Vaticano de 10 de junho, "Homem e mulher os criou", publicado pela Congregação para a Educação Católica.

O texto foi elogiado pela mídia conservadora por rejeitar a ideia de "fluidez de gênero".

Falando a LifeSiteNews.com, Aardweg chamou o documento de "ilusório" e "sentimental", cheio de formulações "vagas" e "ambíguas". "Isso é 'dialogar' e 'ouvir' e 'abertura' constante."

Aardweg ressalta que o documento se torna vítima da ideologia do diálogo: "Os inimigos do cristianismo dialogarão com você na maneira deles, com os termos deles".

Ele enfatiza que a ideologia sexual neopagã agressiva não possui uma sabedoria que possamos compartilhar: "A tarefa da Igreja não é dialogar, mas ensinar e corrigir".

Ele também faz notar que o texto evita assuntos quentes como pecado sexual, castidade, masturbação, adultério, co-habitação, contracepção, esterilização e aborto.

Fotografia: Gerard van den Aardweg, © LifeSiteNews.com, #newsVjlelmqxtm