Clicks155
pt.news

Cardeal Müller afirma que Francisco "não é um herege"

A "pior coisa" a acontecer em uma Igreja é quando um papa é acusado de heresia, disse o cardeal Gerhard Müller a DieTagespost.de (15 de maio).

Müller ressalta que essa acusação vem de "teólogos renomados" e que isso aconteceu apenas a pouquíssimos papas na história da Igreja. Portanto, Francisco deveria publicar uma clarificação teológica oficial.

Pessoalmente, Müller não acredita que Francisco seja herege, porque tal termo implica em uma negação "persistente" da fé católica o que, acredita ele, não é o caso de Francisco. De acordo com essa virada, um papa poderia proclamar qualquer heresia, desde que declarasse não fazê-la "persistentemente."

Novamente, Müller vê o problema não em Francisco, mas nos "Amigos do Papa", que etiquetam todo católico fiel como um "inimigo do Papa" e confundem a fé com uma "ideologia neo-Marxista neo-liberal."

Infelizmente, ele evita uma resposta clara em relação à herética Declaração de Abu Dhabi de Francisco. Ele deixa de lado os problemas e afirma que a "intenção" de Francisco é "certamente muito boa."

Fotografia: © Mazur/catholicnews.org.uk, CC BY-NC-SA, #newsBlvgaatpsx