Idioma
Cliques
104
pt.news

Três bispos do Cazaquistão enfrentem Papa Francisco

A aprovação, por Papa Francisco, das normas pastorais dos bispos de Buenos Aires causou uma confusão entre fiéis e o clero, escrevem três bispos do Cazaquistão.

Eles são o arcebispo de Astana, Tomash Peta, o arcebispo de Karaganda, Jan Pawel Lenga, e o bispo auxiliar de Astana, Athanasius Schneider. Sua declaração é datada em 31 de dezembro de 2017.

Ele vê as normas pastorais como um meio de difundir a "praga do divórcio", inclusive na vida da Igreja. Legitimar uma segunda ligação "representa uma alternação substancial da disciplina sacramental dos dois mil anos e da doutrina da Igreja".

Os bispos citam desde padres da Igreja até papas recentes que concordam unanimemente que uma segunda relação nunca é legítima.

Eles concluem: "Não é lícito justificar, aprovar ou legitimar, direta ou indiretamente, o divórcio e uma relação sexual estável não conjugal, através da disciplina sacramental da admissão dos "divorciados em um segundo casamento" com a Sagrada Comunhão; nesse caso, uma disciplina alienígena à toda a Tradição da fé católica e apostólica".

Fotografia: Tomash Peta, Jan Pawel Lenga, Athanasius Schneider, © wikicommons, CC BY-SA, #newsAamidgljnm