Clicks87
pt.news

Rabino: Não é nosso trabalho queimar Igrejas, "por enquanto"

Após o incêndio da Catedral de Notre Dame, o rabino israelense de origem francesa, Shlomo Aviner (Claude Landauer), de 76 anos, disse que "não existe preceito para queimar igrejas no exterior. Na nossa terra sagrada, no entanto, o assunto é mais complicado,"

Aviner responde a perguntas enviadas a ele por SMS. Em 16 de abril, ele foi perguntado se um judeu deveria sentir pena pelo incêndio ou comemorar, como uma catedral é "idolatria, a qual deve ser queimada".

Os principais rabinos, dentre eles Maimônides (+1204), consideram igrejas como "lugares de idolatria", que devem ser destruídos.

Aviner se refere ao rabino Joel Teitelbaum (+1979), que argumentou contra a imigração para Israel, com o preceito de queimar igrejas e que, por não fazer isso, os judeus em Israel estão pecando.

Mas Aviner ressalta que o rabino Menachem Kasher (+1983) rejeitou Teitelbaum "pois, se queimarmos, teremos que reconstruir, e é um pecado maior reconstruir uma igreja do que deixá-la em pé".

Aviner recebe um salário público como rabino do maior assentamento ilegal Beit El, na Cisjordânia.

Muitas igrejas foram queimadas em Israel nos últimos anos, mas a polícia nunca se esforçou para capturar os responsáveis.

Quatro anos atrás, o racista israelense Benzi Gopstein encorajou a queima de igrejas. Ele foi indiciado por incitação à violência, mas queimar igreja não estava entra as acusações.

Fotografia: Shlomo Aviner, © Ariel Horowitz, CC BY-SA, #newsFyfxdakobf