Clicks113
pt.news

Schönborn afirma que seu amigo homossexual Gery é um mentiroso, fala "bobagens"

Depois que Gloria.tv divulgou o escândalo , o cardeal de Viena, Christoph Schönborn, se distanciou do propagandista homossexual Gery Keszler, que declarou com credibilidade que Schönborn abençoou seu concubinato gay. Keszler contou a cena de maneira vívida e cheia de detalhes.

O porta-voz de Schönborn, Michael Prüller, admitiu, em 19 de setembro, ao LifeSiteNews.com que a controversa reunião aconteceu, mas, pisando em ovos, alegou que a "bênção" não era independente, mas uma parte da oração antes da refeição: "Não faz sentido transformar isso em um precedente", acrescentou.

O relato de Prüller não explica por que Keszler afirmou que essa "incrível" bênção o fez "muito, muito feliz". Keszler chegou a dizer que sua exibição pública sobre a bênção foi "uma saída forçada" de Schönborn.

O fato de Keszler, após a negação, não parecer ofendido por seu amigo Schönborn, que de fato o chamou de mentiroso, indica que ambos, Schönborn e Keszler, fazem parte do mesmo jogo que tem como objetivo fazer com que as pessoas se acostumem a bênçãos homossexuais por cardeais.

Fotografia: Gery Keszler, Christoph Schönborn, © Figlhaus Wien Akademie für Dialog und Evangelisation, CC BY-SA, #newsOipwkyvkkc