pt.news
217

Intimidação: Padre Oko pediu desculpas

Um Tribunal de Colônia abandonou procedimentos contra o padre polonês Dariusz Oko, de 61 anos, e seu editor alemão padre Johannes Stöhr, de 91 anos - por “incitação ao ódio” (sic!) contra homossexuais depois que eles se desculparam.

Não há condenação nem antecedentes criminais.

Oko é [ou melhor: era] um crítico mundialmente famoso da máfia gay da Igreja. O artigo incriminado apareceu na revista alemã Theologisches.

Ambos os padres aceitaram uma multa de € 3.150 e € 4.000. O valor será destinado a uma instituição de caridade para vítimas de abuso.

O padre Oko disse a PCh24.pl (20 de maio) que está satisfeito, pois a decisão é “um empate”.

Oko teve que se desculpar no tribunal: “Lamento ter usado palavras tão fortes. Terei cuidado no futuro para não usar expressões que possam ferir os outros. Essa não era a minha intenção.”

A queixa - conhecida como "processo de intimidação" - decorre de um homossexual, padre Wolfgang Rothe, que causou um escândalo homossexual mundial quando era vice-diretor do seminário de Sankt Pölten, na Áustria.

Cardeal Müller comparou o caso Oko à "justiça" nacional-socialista.

Fotografia: Dariusz Oko © wikipedia, CC BY-SA, #newsGfgnyglklf