Francisco condena-se a si próprio: "O conservadorismo [dos anos 60] é uma atitude completamente suicida"

Norah O'Donell, da CBS News, perguntou a Francisco durante uma entrevista que será publicada na íntegra no próximo domingo: "Há bispos conservadores nos Estados Unidos que se opõem aos seus novos esforços para rever ensinamentos e tradições. Como é que responde às suas críticas?

Francisco: "Eles usam este adjetivo 'conservador' [sorriso depreciativo]. Um conservador é alguém que se agarra a uma coisa e não quer ver para além dela. É uma atitude suicida. Porque uma coisa é considerar a tradição, considerar situações do passado. Outra coisa é ficar fechado numa caixa dogmática".

Nenhum Papa viveu tanto numa "caixa dogmática" como Francisco, que corre atrás de todas as ideologias dos passados anos 60, e de facto: este conservadorismo é suicida para a Igreja e os seus resultados desastrosos são visíveis para todos.

Tradução de IA

00:40