03:42
"Com pavor lembrou o mouro": romance do furor muçulmano. Mais no blog "As Cruzadas" Neste romance, o autor, retrata a perturbação do espírito muçulmano: dominado pelo desespero e frustrado pela …More
"Com pavor lembrou o mouro": romance do furor muçulmano.

Mais no blog "As Cruzadas"
Neste romance, o autor, retrata a perturbação do espírito muçulmano: dominado pelo desespero e frustrado pela lubricidade arde de desejos de matar até encontrar ele próprio a morte. Morte que o enche de pavor privado de esperança na salvação eterna.
“Con pavor recordó el moro” (Romance de Moriana), de Luis de Milán (Milão 1500 – Valencia 1561), músico de fim da Idade Média e profundamente penetrado pela Renascença.

Com pavor lembrou o mouro e começou a berrar:
Meus arreios são as armas, meu repouso é guerrear.
Meu leito, as duras pedras, meu sono é passar sempre em vigília,
Minhas vestimentas são dores que não se podem rasgar.
Não desejo na vida senão aquilo que eu posso matar,
Até encontrar a morte que o amor não me quer dar.