Clicks274
pt.news

Francisco: Outra Apologia Pro Pontificatu Suo?

Francisco colocou sua homilia de São Pedro e São Paulo (29 de junho) sob as duas palavras de ordem "unidade" e "profecia".

A homilia apresentou uma linha clara de pensamento, uma raridade louvável entre as homilias episcopais.

Francisco observa que a Igreja começou a orar quando Herodes prendeu Pedro: "Ninguém abusou de Herodes - e estamos acostumados a abusar dos responsáveis."

A partir disso, ele conclui que é "inútil" para os cristãos "reclamarem". Em uma volta não justificada pelo contexto, ele pula de Herodes para Pedro: "Havia razões para criticar Pedro, mas ninguém o criticou".

Ele explica: "Se Pedro tivesse sido mais cuidadoso, não estaríamos nessa situação".

A homilia de Francisco se torna um pedido de desculpas pelo seu pontificado: “Eles não falaram de Pedro pelas costas; eles conversaram com Deus”.

Portanto, Francisco quer "proteger nossa unidade" com a oração: "Vamos orar por aqueles que governam!" - dando a impressão de que os fiéis deveriam se calar (“orar”) diante dos abusos provenientes de Roma.

Então, Francisco fala sobre "profecia", que segundo ele nasce "sempre que nos deixamos desafiar por Deus". Esta definição é enganosa: a profecia nasce quando um profeta recebe uma palavra de Deus e a proclama.

Francisco cai em seus mantras quando diz que a profecia "não" é quando estamos preocupados em "manter tudo em silêncio e sob controle", mas "quando o Evangelho derruba certezas", quando "alguém está aberto às surpresas de Deus". Francisco está confuso: o Evangelho derruba incertezas.

Se Francisco acredita na sua homilia, por que então ele é tão maníaco por controle, que elimina sem piedade todos os que desafiam suas "certezas"?

#newsGnjkaqdzev