Para além da entrevista manipulada: As perguntas sem resposta de Francisco

George Weigel, biógrafo e admirador de João Paulo II [que nomeou Bergoglio e McCarrick cardeais no mesmo dia] e belicista neoconservador, publicou uma lista de perguntas (CatholicWorldReport.com, 20 de maio) que a Sra. O'Donnell ("60 Minutes") deveria ter feito a Francisco na sua recente entrevista de softball. Exemplos.

- Alguma vez parte o pão com aqueles de quem pode discordar, ou procura opiniões fora da sua bolha?

- Você diz que a ordenação de mulheres não é possível, enquanto o Cardeal Hollerich diz que estas são "questões em aberto" a serem discutidas no Sínodo-2024. Já repreendeu o Cardeal Hollerich?

- Já pensou em corrigir a ideia de que o ensino católico sobre moral e eclesiologia não é uma questão de política mas de verdade revelada?

- Porque é que o Padre Rupnik nunca foi punido pela sua fornicação com freiras?

- Acha que alguém se interessa por uma Igreja que não tem a certeza daquilo em que deve acreditar?

- Por que razão depôs bispos sem o devido processo canónico?

- Porque é que prejudicou aqueles que frequentam a Missa Romana?

- Já viu o meme amplamente difundido de si a abençoar uma bicicleta e a dizer: "Não estou a abençoar uma bicicleta, estou a abençoar duas rodas separadas"?

- Existem normas morais para as quais não há "excepções", como ensinou João Paulo II?

- Se a casuística é um método aceitável de raciocínio moral, como é que se aplica ao homicídio, à violação, à tortura, ao abuso de crianças, à mutilação, à escravatura, ao racismo e ao genocídio?

- As vocações para o sacerdócio diminuíram em muitos países durante o seu pontificado. Acha que isso tem alguma coisa a ver com as suas críticas regulares aos padres e seminaristas?

Tradução de IA