pt.news
221

Chefe do Sínodo de Francisco: “Há muitos padres homossexuais”

A Igreja “deve mudar” [= imitar os infelizes protestantes], disse o cardeal de Luxemburgo Jean-Claude Hollerich, de 63 anos, relator geral do Sínodo de Francisco, ao site La-Croix.com (3 de agosto).

Ele repete os preconceitos dos inimigos da Igreja, alegando, por exemplo, que as mulheres estão "no centro da Igreja", mas "foram ignoradas demais". A verdade: Cristo está no centro da Igreja e o problema da Igreja é que ela é ignorada pelos homens.

Hollerich acredita que a formação do clero “deve mudar”, “não deve se concentrar apenas na liturgia, embora eu entenda que os seminaristas atribuem grande importância a ela”. A verdade: desde o Vaticano II - há 60 anos - a formação litúrgica dos seminaristas foi reduzida a zero.

Sem ser solicitado, Hollerich passa para seu tema favorito - sexo: “Precisamos mudar a maneira como vemos a sexualidade. Até agora, tivemos uma visão bastante reprimida da sexualidade”. A verdade: se as pessoas tivessem seguido essa "visão reprimida" não haveria Aids, varicela, divórcio, decadência sexual, abortos e falta de prole.

De acordo com Hollerich, “não se trata de dizer às pessoas que elas podem fazer qualquer coisa ou abolir a moralidade, MAS acho que precisamos dizer que a sexualidade é um presente de Deus”. A verdade: a sexualidade vira um presente do diabo com uma moral de Hollerich.

Hollerich quer que padres homossexuais (“há muitos deles”) possam conversar com seu próprio bispo sobre isso “sem que este os condene”. A verdade: os bispos condenam os sacerdotes de Rito Romano, não os atos homossexuais.

Obviamente, Hollerich também questiona o celibato, enquanto São Pedro diz a Cristo: "Nós deixamos tudo o que tínhamos para seguir-te! (Lc 18:28)".

Para Hollerich, é óbvio “que todo padre se apaixona de vez em quando” e a questão é “como agir neste caso”. Mas se isso é verdade para os padres celibatários, também é verdade para qualquer homem casado.

Fotografia: Jean-Claude Hollerich © Mazur, CC BY-NC-ND, #newsIvuijfmhph