Freiras de Burgos: a irmã que abandonou o convento fala

A Madre Isabel de la Trinidad não consultou a sua comunidade, as Irmãs Clarissas de Belorado, quando decidiu romper com a Arquidiocese de Burgos e juntar-se a Pablo de Rojas Sánchez-Franco, um bispo autodeclarado sedevacantista, disse a Irmã María Amparo, 81 anos, numa entrevista ao DiarioDeBurgos.es (18 de maio).

A freira está na vida religiosa há 62 anos, 20 dos quais passados em Belorado. Partiu três dias depois da declaração de cisma das freiras. A Irmã María nega veementemente a afirmação da Madre Isabel de que a decisão foi unânime.

"Não se pode tomar uma decisão destas sem um capítulo, e não houve nenhuma reunião. Foram-nos apresentados factos que já tinham sido estabelecidos", disse ela. De acordo com a irmã, as 16 freiras foram chamadas a reunir-se numa sala, onde Pablo de Rojas Sánchez-Franco esperava e disse às freiras que ele era agora o responsável.

A Irmã María diz que falou contra o [pseudo-] bispo na reunião: "O Senhor pôs-me palavras na boca. Eu disse-lhe: Estamos sob a jurisdição do Bispo Mario Iceta".

A Irmã Pilar disse que não era lícito levantar esta questão sem uma reunião capitular, mas a Madre Isabel respondeu que era uma decisão que "tinha sido tomada há muito tempo e que todos estavam de acordo".

A irmã disse então que a Irmã Pilar, as irmãs mais velhas e ela própria não sabiam de nada. A Madre Isabel responde-lhe que a maioria é suficiente. A Irmã Maria decidiu partir porque não quer "pertencer a esta seita, nem por nada deste mundo".

Ainda não pôde despedir-se das cinco freiras idosas e está preocupada com a forma como estas irmãs foram informadas sobre a situação atual.

A Madre Isabel está a chegar ao fim do seu terceiro mandato como superiora, em maio próximo, e está impedida pelo direito canónico de ser reeleita.

De acordo com o vigário para a vida consagrada na Diocese de Vitória, Rev. Manuel Gómez Tavira, a crise terá sido desencadeada pelo desejo de Isabel de permanecer no cargo. "Toda esta questão poderia ser apenas mais uma série da Netflix, se não fosse o facto de haver 15 religiosas que estão a ser enganadas pela superiora, que há algum tempo está a tentar perpetuar-se no seu cargo", disse ao Eitb.eus.

A Confederação das Clarissas de Espanha e Portugal, que representa 180 conventos e 10 federações, emitiu um comunicado em que apela ao convento do Belorado para que se reconcilie com a Igreja.

Tradução de IA