INTERPRETAÇÃO DEMONOLÓGICA E PSIQUIÁTRICA

Interpretação demonológica

Na concepção medieval, existia um eterno conflito entre Deus e o diabo. Na ofensiva contra Deus, os demônios buscam apoderar-se daquilo que, por ser a obra mais perfeita do criador, representa a imagem divina: o Homem.

Na concepção demonológica, cada homem está rodeado de demônios empenhados em invadi-lo e dominá-lo.

O diabo se insinua através do substrato instintivo e sensível da natureza humana, em maior conexão com as funções corporais.

O demônio, agindo nesta zona, estimula no homem, representações mentais nocivas que quanto mais imperiosas, tanto mais tendem a exercer repercussões sobre as faculdades ligadas à inteligência e à vontade, redutos da alma.

Para assegurar a vitória de Deus, os anjos mantêm o indivíduo alerta contra os ataques diabólicos, incentivando-o a usar de bastante energia para repeli-los e agir de conformidade com as leis divinas. Todo homem deve ser provado e só depois de haver medido forças com o demônio e de certo modo haver descido ao Inferno, tem possibilidade de subir ao Céu.

Sob a ação ordinária do diabo, o indivíduo em estado de tentação se sente acometido pelos mais diversos apetites, sensações, paixões, imagens e lembranças, acarretando-lhe o obscurecimento da consciência, do entendimento e da vontade, sendo impelido à prática do mal.

O homem revive em si mesmo, a luta entre anjos bons e maus, entre Deus e o diabo, entre o Céu e o Inferno, entre o Bem e o Mal. Dispõe de uma vida elevada, a vida da alma voltada para Deus, para o Bem.

Com essa vida superior, o homem esclarecido pela inteligência e dotado de vontade própria, esforça-se para reprimir e esquecer nas profundezas de si mesmo, uma vida inferior, a vida do corpo, apegada a funções fisiológicas e às seduções do mundo, voltada para o diabo, o inferno, o mal, manifestando-se no âmbito da alma através dos impulsos instintivos, estados afetivos, sensações, lembranças e fantasias.

De acordo com concepções mais modernas, contrária às da antiga demonologia, o diabo não determina diretamente a doença, mas através da tentação instiga os impulsos inerentes à natureza humana e, com o obscurecimento da consciência, do intelecto e da vontade, impele o indivíduo para o pecado. Sob a influência do pecado, o indivíduo se lança a estados de maior tensão emocional, de embriagues, de insanidade física e mental; então, enfraquecida sua capacidade de resistência, permite mais facilmente que o demônio o envolva sob a forma extraordinária de obsessão, ou nele se incorpore sob a forma mais extraordinária da possessão.

Interpretação psiquiátrica

O psiquiatra interpreta os distúrbios ocorridos tão somente no plano bio-psicossocial. Atualmente quando alguns pacientes interpretam o que lhes sucede como dependente da ação extraordinária exercida por demônios ou espíritos, essas citações são geralmente catalogadas com outros sintomas inerentes a determinados quadros da Patologia Mental.

Recentemente difundiu-se no mundo, e após profundas pesquisas de diversas universidades lançaram-se as bases da interpretação parapsicológica. A Parapsicologia estuda e explica os mesmos fenômenos extraordinários que se atribuíam aos demônios ou espíritos. Com as investigações sobre tais atividades através do método experimental, a Parapsicologia desvenda as “Novas fronteiras da mente”.

Do ponto de vista psiquiátrico, os pacientes apresentam de início, um estado neurótico e com o agravamento das condições psíquicas, um estado psicótico; outros pacientes que apresentam imediatamente manifestações próprias da “possessão demoníaca”, apresentam sintomatologia própria de estado psicótico.


No século XVII, o Padre Surin, S.J., teria “recebido” o demônio chamado Leviatã, “saído” do corpo da irmã Joana dos Anjos, e mergulhou em estado de agitação. No diagnóstico psiquiátrico de L'Hermitte, a “possessão” do Pe. Surin traduziu-se do quadro próprio da psicose alucinatória crônica, caracterizado por múltiplos fenômenos de automatismo mental, atualmente descrita sob a denominação de parafrenia e mesmo admitida como forma clínica de esquizofrenia.

Para a compreensão dos fenômenos mais “misteriosos”, é imprescindível ao psiquiatra o conhecimento das descobertas parapsicológicas.

Hoje, todos esses sintomas extraordinários, antigamente incompreensíveis e atribuídos à possessão, são plenamente explicados e compreendidos pela Parapsicologia.

Fonte: AS FRONTEIRAS DA DEMONOLOGIA E DA PSIQUIATRIA
, de João Carvalhal Ribas, Edigraf. (Resumo e observações de Maria Cristina Aquino e Padre Oscar González-Quevedo, S.J.).

Fonte/Fonte: INTERPRETAÇÃO DEMONOLÓGICA E PSIQUIÁTRICA (Interpretação demonológica e psiquátrica).

-------------------------------

● Estudo desenvolvido pelo revolucionário e mundialmente consagrado especialista Prof. Dr. Padre Óscar González-Quevedo Bruzón, S.J. (1930-2019), fundador, em 1970, do CLAP – Centro Latino-Americano de Parapsicologia ― Pesquisa, Ensino e Clínica ― o primeiro Centro Universitário, Especializado e Reconhecido em Parapsicologia no Brasil.

-------------------------------

“Fora da VERDADE não há CARIDADE nem, muito menos, SALVAÇÃO!” (Luiz Roberto Turatti).

#Charlatanismo #CLAP #Crendice #Curandeirismo #Demônio #EQM #Espiritismo #ETs #ExercícioIlegaldaMedicina #Exorcismo #Fantástico #Hipnose #IssoNonEcziste #Jesuíta #Mágica #Médium #Milagre #OEPNET #Óvnis #PadreQuevedo #Parapsicologia #Reencarnação #Religião #Superstição #TCI #Truque #TVP #Vaticano.