Criminalidade contra a vida: Sede de Roma danificada

Em 20 de maio, a entrada da sede de Roma de "Pro Vita & Famiglia", uma organização que promove os direitos humanos fundamentais, foi vandalizada com slogans extremistas que promovem a propaganda dos travestis.

Jacopo Coghe, de "Pro Vita & Famiglia", associa o vandalismo a uma manifestação de extremistas travestis que teve lugar em Roma no sábado, 18 de maio.

Explica que estes grupos violentos exigem "respeito" mas não mostram respeito pelos outros, atacando constantemente o senso comum, o direito de expressão e a existência daqueles que criticam a sua propaganda.

Nos últimos três anos, o gabinete "Pro Vita &Famiglia" sofreu mais de dez (!) ataques, muitas vezes coincidindo com manifestações deste tipo de vândalos de rua. Um exemplo disso foi o dia 25 de novembro, quando o gabinete dos activistas dos direitos humanos foi alvo de um ataque com janelas partidas, portadas partidas e o lançamento de um engenho incendiário que, por acaso, não explodiu.

O Presidente da Câmara de Roma, Roberto Gualtieri, membro da organização sucessora do antigo Partido Comunista ("Partito Democratico"), nunca manifestou a sua solidariedade para com os activistas dos direitos humanos, o que significa que está do outro lado.

Para Coghe, isto demonstra que, no atual regime italiano, "não há liberdade de expressão do pensamento" se este for diferente da propaganda do regime.

Tradução de IA

00:52