Vaticano anula a demissão da Madre Gerlach

Como era de esperar, o Vaticano aprovou em grande parte as decisões tomadas pelo bispo Michael Olson, de Fort Worth, contra as freiras carmelitas de Arlington, no Texas.

No entanto, a demissão da vida religiosa da prioresa, Madre Teresa Agnes Gerlach, foi anulada pelo Dicastério para os Religiosos. O decreto foi anunciado pelo Bispo Olson a 22 de maio.

O Dicastério rejeitou as queixas das freiras sobre a investigação do bispo ao seu convento, manteve a advertência canónica feita às nove freiras, ameaçando-as com castigo se continuassem a obstruir a investigação, e confirmou a suspensão da Madre Gerlach como prioresa por D. Olson como medida de precaução.

O Vaticano considerou provada a existência de um caso online entre a Madre Gerlach e um sacerdote da diocese de Raleigh, mas negou que se tratasse de um "abuso da sua autoridade de prioresa", como D. Olson tinha argumentado. Além disso, não lhe foram dados os 15 dias legalmente exigidos para recorrer.

O Vaticano não é conhecido pela sua preocupação com o direito canónico, pelo que a decisão é provavelmente uma tentativa de evitar que as freiras cortem os laços com a diocese.

Tradução de IA